Google+ Followers

26 de agosto de 2009

Mistérios de Um Quase Poeta

Não julgue um poeta pelo que ele escreve,

Por que certas palavras não precisam ser lidas,

Mas devem provocar em seu interior, um pouco

De quem sabe,

Revolta,

Amor,

Emoção,

Sonhos.

Não deixe transparecer em sua face

A dúvida que paira na poesia,

E tente na ironia do seu destino

Se esconder daqueles olhares de medo,

Fugindo desta tua incerteza,

Não afirmando nunca o seu engano.

Não queira nos versos da poesia,

Provocar emoções, elas é que te provocam...

Não tente conhecer aquilo que se esconde em ti,

Em versos enigmáticos feitos pelo poeta,

Onde a profecia é irônica, insana.

Não tente em poucas linhas rimadas

Entender tudo que para você

Ainda é mistério, sério.

E fazer do rio um lago,

E transformar o mundo em mundo,

E fazer de você gente,

Nem um quase poeta desperdiçaria este tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores